18 de abril de 2009

além do obscuro.



Inverno. caminhando pela rua vazia e sombria daquela cidade estranha. o céu estava coberto pelo véu da escuridão. pensamentos soltos, negativos, estavam tomando conta, pertubando juntamente com a noite profunda. o silêncio parecia eterno, nada o atrapalhava. meus passos, eu não os ouvia. os carros pareciam ter abandonado aquela cidade, as pessoas pareciam temerem o lado de fora, o sino fazia barulho, era meia noite. gritos. não sabia de onde vinham. inesperadamente um vulto. era um gato. grande, pêlos brilhantes. me fazia companhia. algo estranho. ele me fizera sentir algo que não sei explicar. queria algo. em passos lentos assim como eu, me acompanhava. a solidão marcava presença. estavamos em uma caminhada incessante que muito me irritava o espirito só. passaram-se horas e continuavamos alí, que coisa monótona! irritei-me. com um pequeno canivete que trazia comigo, peguei o gato com uma das mãos e em seu peito enfiei o canivete. este, caiu morto no chão, assim como eu.

3 comentários:

Carol matos :] disse...

A cada dia que passa , você se supera mais ! :D
adooooorei *-*
senti medo , confeso HAHAHA
te amo.

Camilla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camilla disse...

Hey skaopsopakspoak
mandaa *-* eu deixei um selo pra ti lá no meu blog e eu adorei esse texto
beijos ;** ♥ amo *-*

 

Contador Grátis